Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


INTEGRANTES

Conheça os Integrantes do TremBão BH
Quer ser um integrante do TremBão BH? Entre em contato clicando aqui

 
 

André - Dédas

Participo do TremBão BH nas pedaladas de Todas as Semanas, Cicloviagens, Provas Técnicas de MTB Promovendo a Integração dos Participantes. Somos, hoje, uma Equipe com Espírito de Equipe. Moro em Belo Horizonte – MG. Sou um dos Fundadores da Equipe TremBão BH em Abril de 2006. Responsável Pela Criação e Manutenção Deste Site. Tenho Uma Paixão Especial Pela Antiga Bike “Tigrão” da Monark. Tive Muita Vontade de Tê-la no Passado Mas Não Me Foi Possível. Apaixonado Por Mountain Bikes Desde Que a Conheci e Por Música Instrumental de Boa Qualidade. Aos 12 Anos, Ganhei de Natal Minha Primeira Bicicleta, Uma Monareta Roxa Com Guidão Preto e Um Câmbio com Apenas Três Marchas Que Não Funcionava Nunca e Ainda Achava Que Aquela Era a Bike Mais Linda do Mundo! Recordo Que o Meu Primeiro Contato Com Uma Bike Foi Junto Com Meu Irmão Pena, Mais Velho. Era Uma Monark Barra-Circular Verde Claro Que Ele Havia Ganhado do Nosso Pai. Andava Sempre na Garupa Dele Quando Ainda Tinha Aproximadamente Oito Anos de Idade... Daí Em Diante... Tomei Meu Rumo... Aprendi a Andar Sozinho Quando da Pavimentação da Avenida Onde Eu Morava. Hoje, Sinto-me Feliz Com o Que Faço. Optei Por Um Novo Estilo de Vida. Optei Pela Saúde, Pelo Prazer de Pedalar Com os Amigos e Conhecer Novos Lugares, Pelo Bem Estar e Pelo Equilíbrio Emocional Que Só Uma Bike Pode Lhe Oferecer Sem Nada em Troca... Se Você aí Estiver Deprimido Faça Um Grande Favor à Você Mesmo... Jogue Fora a Receita do Anti-Depressivo e Compre no Lugar Uma Mountain Bike Pra Você, preferencialmente no Mesmo Dia...


Paulo César - PC


Tergilene - Tergi

Meu irmão Antônio tinha uma bicicleta, freio-contra pedal. Foi o meu primeiro contato com a magrela. Íamos sempre para um lugarejo próximo a fazenda onde morávamos, levava-me na garupa ou no quadro. Um dia tentei andar nesse bike mas, ainda muito pequeno, não consegui. Anos depois, fui morar com os meus avós em Itanhém – BA. Certa vez, meu avô, chegou em casa à noite com uma bicicleta de presente para mim, como ela era muito grande minha avó o fez e nunca mais me esqueci desse acontecimento. Sempre quis ter uma bike mas não foi possível e os motivos não importam. Em fevereiro de 2006, comprei a minha primeira bike. Eu me senti realizado. Hoje, porém, já estou na quarta bike, sendo que a segunda e a terceira permanecem comigo. Depois de muitos anos foi possível realizar um velho sonho arquivado em meu subconsciente. Tudo isso está sendo ótimo para mim! Através da bike tenho conquistado muitas novas amizade e fortalecido as existentes. A minha família me incentiva a pedalar sempre... A bike se tornou um vício, quase uma cachaça. Tenho realizado ciclo-viagens... imagina, eu, pedalando em New York City! Em set/2011, pedalei por aquelas bandas... Jamais pude imaginar que isso seria possível para mim algum dia! Estou demasiadamente feliz e bem adaptado ao que faço e gosto. Estou muito feliz com a minha vida. Somente tenho que agradecer a Deus, minha família e aos Amigos por eu estar vivendo esse momento tão iluminado...


Márcio Elízio - Telízio

A minha “fome” por bicicleta vem desde criança. Na época era brinquedo muito caro e para conseguir comprar uma era necessário economizar bastante. A grana que criança conseguia era a partir de presentes dos pais e tios e com isto, a única forma de conseguir comprar uma bike era juntar por muito tempo esse dinheirinho. No meu aniversário de 10 anos eu consegui alcançar o montante de cento e dez cruzeiros novos. No bairro onde morávamos havia um camarada que estava vendendo uma Monark 26, por duzentos cruzeiros novos. Como coração de mãe não tem tamanho, com a ajuda dela, consegui comprar a minha primeira bike. Para mim, na época, era a coisa mais linda e importante do mundo. Tanto que a guardava ao lado da minha cama. O meu entusiasmo pelo brinquedo foi tanto, que lembro-me, pedalei o dia todo sem me cansar e também sem me hidratar. O resultado foi uma visita ao hospital, devido a uma insolação, que me obrigou a ficar longe do meu tesouro por uma semana. Dizem que quem vive uma paixão vive um sentimento intenso e passageiro. Ah! Que bobagem! Não posso concordar, pois a minha paixão por bike resiste bravamente até os dias de hoje e creio permanecerá até quando eu existir


<< anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 | 7 | 8 | 9

TremBão BH 2017